Satélite: três são denunciados por fraudar cotas raciais no concurso da Agerba

 

O Ministério Público do Estado (MP) denunciou três pessoas por suposta fraude nas cotas raciais  do concurso da Agerba, cujo resultado foi divulgado em março. Segundo a denúncia, eles foram aprovados para as vagas destinadas a pessoas que se autodeclaram negras, contudo sem preencherem os requisitos. A acusação levou o governo da Bahia a instaurar também processo investigativo para apurar a veracidade da informação fornecida pelos três candidatos, que não tiveram os nomes revelados. Nos próximos dias, serão convocados a comprovar presencialmente a condição de cotistas.  O não comparecimento, nesses casos, implica em reconhecimento da fraude.

Duas lupas
No âmbito do governo, a apuração será conduzida pelas secretarias estaduais da Administração e de Promoção da Igualdade Racial, além da Agerba, agência que regula serviços públicos de energia, transportes e comunicações. No total, o certame  disponibilizou 60 vagas, sendo 12 para cotas raciais. Se comprovada a falsidade, os candidatos serão excluídos do concurso.

Pacote completo
Com o anúncio do governador Rui Costa (PT) de que fará mudanças no secretariado, o PR vai reivindicar a pasta de Turismo com porteira  fechada. O partido já tem a secretaria e quer retomar o comando da Bahiatursa, hoje chefiada por Diogo Medrado, filho do deputado federal Marcos Medrado, que recentemente trocou o PR pelo Podemos. Com a mudança, a cúpula do PR entende que tem direito a apresentar outro nome para o órgão e,  por consequência, indicações para cargos. Na bolsa de apostas, são tidas como certas as saídas do secretário de Cultura, Jorge Portugal, e da Educação, Walter Pinheiro, que anunciou o desejo de voltar ao Congresso antes de outubro para concluir o mandato de senador.


Comentários

Os comentários estão fechados.