Novo salário terá um aumento de R$ 42.
O salário mínimo do ano de 2018 terá um aumento de 4,5%, chegando a R$ 979, contra os R$ 937 deste ano. O aumento foi aprovado na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), sancionada por Michel Temer. A LDO define as metas e prioridades do governo para o ano seguinte. A sanção deverá ser publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (9). O texto da LDO manteve a meta fiscal proposta pelo governo, com um déficit primário de R$ 131,3 bilhões para o governo federal, estados, municípios e empresas estatais, dividindo R$ 129 bilhões para os orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União e R$ 3,5 bilhões para o Programa de Dispêndios Globais. O crescimento real da economia brasileira foi projetado para 2,5%, a taxa básica de juros (Selic) para 9%, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (INPC) de 4,5% no ano e o dólar chegando a R$ 3,40 no fim do ano.
Fonte: GiroemIpiau

 

Após ser “atacado” com uma chuva de ovos durante visita à Salvador para receber o título de cidadão soteropolitano da Câmara de Vereadores, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB-SP) brincou com a situação em suas redes sociais. No Twitter, Doria postou uma foto de um depósito de ovos com a seguinte frase: “Polícia da Bahia encontra depósito clandestino de armamento pesado”. Doria é apontado como um dos candidatos à corrida eleitoral para a presidência no ano de 2018.


A idosa de 87 anos foi estuprada no domingo (6). O suspeito teria invadido a casa da senhora durante a madrugada, roubado um botijão de gás e cometido o abuso sexual. De acordo com a Polícia Civil de Gandu, a idosa registrou o caso na terça (8), passou pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi atendida no hospital, onde realizou exames e a profilaxia pós-violência sexual. A polícia já possui a identificação do suspeito e está realizando diligências para encontrá-lo. Ele já teria passagem pelo sistema prisional por roubos.

 

Fonte: Diario Paralelo


 

O Vereador da situação, Josival Freitas (PTdoB), da cidade de Itamari, tem sido considerado “o pai da saúde” na cidade. Tudo isso, porque mesmo depois de eleito, continua prestando assistência à comunidade itamariense. Não é preciso ir muito longe, pra que encontre o jovem vereador prestando algum serviço na área da saúde.

Semanalmente acompanha, marca exames, orientam pacientes, busca cirurgias, direciona e humaniza de seu jeito o bem estar da saúde itamariense.

Por este motivo, diante de tanto caos vivido na saúde publica nos últimos tempos, os itamarienses ao pensar em saúde, ligam automaticamente ao nome do filho do grande e ilustre Sr. Jair.

Recentemente foi alvo de elogios por parte do Vereador Dino Lisboa, líder da oposição na Câmara de Vereadores.

“Muito gratificante fazer parte dessa Câmara renovada e com pessoas preocupadas com a nossa população!!!” – Disse Dino Lisboa – Vereador de Oposição.


Jovem morto tinha 19 anos e não tinha passagens pela polícia (Foto: Reprodução/PTN News)
Um crime bárbaro está sendo investigado pela delegacia de Teolândia, no baixo sul baiano. Nesta segunda-feira (07), populares localizaram um corpo em decomposição, com a cabeça arrancada e uma caveira colocada no lugar. De acordo com o blog PTN News, o corpo foi encontrado no bairro Zacarias. Ainda conforme a publicação, a vítima foi identificada como Maike dos Santos Souza, de 19 anos. Ele morava no município vizinho de Presidente Tancredo Neves, mas visitava a avó com frequência em Teolândia. A vítima não possuía passagens pela polícia. O crime com requintes de crueldade chocou os moradores da região. O caso está sendo investigado pela polícia local.
Fonte: Giro Em Ipiau

Foto: Whatsapp

 

Nesta terça-feira (8) , dezenas de alunos da rede municipal de ensino de Itamari foram às ruas da cidade protestar contra a exoneração do Professor “Tuta”. Com gritos de guerra “Volta tuta”, “Palloma cadê você!”… Os alunos reivindicaram a forma considerada “perseguidora” da gestão quanto o professor.

Perseguição ou não… O fato é que a educação do município de Itamari, 16 KM de distância de Apuarema,  sofreu um duro golpe nesta última segunda (07). Tudo isso, por conta da portaria de nº 033/2017, feito pela Prefeita Paloma Uzêda, “mamãe de Itamari”, portaria essa que exonera o Professor Jivaldo dos Santos Vasconcelos, do cargo de Diretor da Escola Municipal Professor Roberto Santos.  Segundo relatos de moradores e autoridades politicas do município, a decisão foi uma atitude “lamentável e perseguidora”, ou seja, uma forma de vingança com o Professor.

Ainda com relatos de moradores, a decisão da portaria 033/2017 teria sido motivada, como forma de resposta ao pedido do Professor “TUTA” em deixar a Comissão de Sindicância Administrativa, comissão essa que iria julgar os processos licitatórios e o concurso de 2016.

Nossa reportagem tentou contato com o Professor “Tuta” e com a Prefeita Paloma, mas até a publicação desta matéria não tivemos sucesso.

 

 


 

No total, o programa pagou mais de R$ 20 mil reais entre os anos de 2015 e 2016 a Igor dos Santos Reis, inscrito no programa direcionado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza. Um outro detalhe curioso é de que mesmo morando em Gandu, o beneficiário conseguiu ser inserido no programa através do município vizinho de Wenceslau Guimarães.

Igor Reis é funcionário público da prefeitura de Gandu desde 2007, e a última folha de pagamento mostra que o mesmo recebe R$ 1.483,85 de salário.

Em 2015 uma dona de casa optou por ser desligada do programa após ter seu pedido de aposentadoria aprovado. Na época, Dona Rosa dirigiu-se até o setor do Programa em Gandu e pediu desligamento de forma espontânea. Além dela, outras duas pessoas já haviam feito o mesmo. Segundo informou a ex beneficiária, o pedido de desligamento ajudaria uma outra pessoa que realmente necessite da ajuda do Governo Federal..

Fonte: Diário Paralelo


 

Ex-líder do tráfico em Simões Filho, Júnior do Gueto, ou melhor, Júlio Bomfim tentou bancar a carreira de cantor com a venda de drogas. Hoje missionário, usa a arte e sua história para evitar que outras pessoas entrem para o crime

Na linha da vida, os dias nem sempre se emendam conforme o planejado. A história de Júlio Bomfim Santana de Jesus, 36 anos, é uma dessas colchas de retalho que ganharam cores e ritmos que variaram da obscuridade aos tons pastéis e da revolta à fé.

Ex-líder do crime organizado em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, onde ficou conhecido como Júnior do Gueto, ele refez sua história, tornou-se pastor, depois missionário e hoje é reverenciado na Igreja Evangélica Shalom Adonai como Irmão Júlio.

Em 2013, ainda enrolado com o tráfico, ele conversou com o CORREIO e contou como tentou financiar a carreira de músico com a venda de drogas. Agora, em nova entrevista, revela o que ganhou ao escolher mudar o rumo de sua história.

O início 
Filho do já falecido Júlio Torrentino de Jesus e da costureira Eunice Souza Santana, o missionário que hoje é requisitado por diversas igrejas evangélicas para cantar e realizar pregações, desenrolou um vasto novelo para bordar sobre o temido apelido Júnior do Gueto a respeitosa alcunha de Irmão Júlio.

Casado e pai de quatro filhos, ele é direto ao falar sobre que imagem quer deixar para os herdeiros. “Quero que conheçam o pai de hoje. A pessoa que eles podem chegar na escola e ter orgulho de dizer. Antes eu era chamado de monstro. Hoje sou o Irmão”, diz.

Da infância pobre em Salvador, ele guarda, além das dificuldades vivenciadas no bairro Arenoso, a luta dos pais para não deixar faltar comida. “Quando a gente não tinha nada para comer, saía com meu pai para pescar naquele rio da Paralela. Foi uma infância muito difícil, mas meu pai batalhava para colocar o pão”.

Talentoso com a bola nos pés, Júlio chegou a passar em peneiras para jogar nas categorias de base do Vasco da Gama e do América, ambos do Rio. O instinto protetor de dona Eunice, no entanto, manteve o aspirante a craque perto de casa e longe dos gramados.

Entre um baba e outro, Júlio foi descobrindo a aptidão para a música. Naquela ocasião, o rap e o pagode dividiam a sua atenção. Ele relembra que a canção Inaraí, do grupo Katinguelê, o despertou para o seu verdadeiro sonho: cantar. “Eu ficava deitado batendo nas paredes e minha mãe perguntava se eu estava maluco. Ali, Deus estava querendo me mostrar que eu tinha um dom”, acredita.

Aos 16, fez a primeira composição e mostrou aos amigos. A aprovação dos colegas o incentivou a correr atrás do sonho. “Cheguei a cantar em alguns programas de televisão, mas as coisas não deram muito certo e as portas foram se fechando.”

Mudança de vida
A mudança para Simões Filho, no final dos anos 1990, marcou também o encontro de Júlio com o capítulo mais sombrio da sua história. Na periferia da cidade, a linha da vida de Júlio se cruzou com o crime e a paz do menino que pescava à beira do rio pouco a pouco foi  substituída pela sede de poder.

“Um traficante patrocinou meu CD e eu cheguei a me apresentar com vários artistas. Mas não tinha paz para cantar, porque sabia que estava me envolvendo no mundo errado”, cita.

Cantando raps de apologia ao crime e já descrente de que alguém fosse lhe dar uma nova oportunidade, o já rebatizado Júnior do Gueto decidiu mergulhar de cabeça no tráfico para ganhar dinheiro e pagar as rádios para tocarem sua música. “Quando entrei nesse negócio, terminei perdendo o foco da música”, conta.

Robin Hood da favela
Apesar da vida delituosa, Júnior do Gueto preservou traços dos valores bordados por dona Eunice lá na infância pobre no Arenoso. Assim, colecionou mais um apelido: Robin Hood da Baixa da Fontinha.

“O dinheiro era amaldiçoado, mas eu ajudava muita gente. Às vezes, vinha dos assaltos e distribuía dinheiro. Eu doava cesta básica, botijão de gás. Era uma pessoa má, mas com um coração bom”, conta. Esse ‘bom coração’, diz, foi o que o manteve vivo até hoje.

“Meus colegas morreram todos, porque não tinham coração, queriam bater nos outros, matar”, conta Júlio, que  chegava a acertar com as vítimas de assaltos a devolução.

Livramento
A vida de crimes o colocou por diversas vezes em sérios apuros. Em uma dessas situações, ele lembra que viu a morte de perto. Durante uma ação policial, conta que os PMs chegaram até a casa dele, invadiram a residência e o levaram para um ‘acerto de contas’.

“Eu havia sonhado que seria preso. Confesso que achei que aquela seria a minha última oportunidade, que não tinha mais jeito. O policial botou a arma na minha cabeça.”

Àquela altura, uma multidão se aglomerava e clamava pela vida dele. Fazendo valer a máxima de que a voz do povo é a voz de Deus, ele diz que os policiais pouparam o rapaz de “ir embora mais cedo”.

Renascimento
No bordado da vida de Júlio, o dia 18 de julho de 2013 é um ponto de cruz. Naquela data, seu Júlio Torrentino faleceu, e o filho, que tanto o amava, não pôde sequer se despedir do ídolo por medo de ser perseguido pela polícia no velório.

Naquela data, uma ligação de dona Eunice motivou Júlio a, finalmente, voltar a andar na linha. “Minha mãe ligou na hora que meu pai morreu e disse: ‘meu filho, se você continuar nessa vida, vai morrer, e, se você morrer, eu morro também’. Aquilo rasgou meu coração e eu pensei: ‘não posso matar minha mãe de desgosto’”, recorda.

Em uma igreja evangélica em Alagoinhas, Nordeste do estado, deu o primeiro passo para deixar a criminalidade: reconheceu que precisava mudar.

Liberdade e paz
Arrepender-se somente não seria suficiente para Júlio quitar seus débitos com a sociedade e exorcizar os demônios que tanto o atormentavam. Júnior do Gueto vivia o paradoxo de estar preso longe da prisão e viu a necessidade de se entregar à polícia para ter de volta a paz.

“Quando eu ia dormir, chorava com saudades da liberdade que tinha. Queria poder ver meus filhos. Queria ter minha família de volta”, relata. Ao seguir para o presídio, superou ainda o medo de morrer dentro da cela por conta de uma guerra entre facções.

Hoje, após ter deixado a penitenciária Lemos Brito, onde chegou a passar 11 meses recluso, segue recosturando sua história, acertando as contas com a Justiça – atualmente, não há mandados de prisão em aberto contra ele -, e se mantém sólido no propósito de cantar. “Hoje posso não ter riqueza, mas tenho paz. Sei que estou salvo.”

Fonte: Correio da Bahia


 

Em todo Brasil serão contemplados mais de 2,012 milhões de contribuintes, totalizando cerca de R$ 2,8 bilhões em valores de restituição pagos

A próxima terça-feira (15) será mais feliz para 89.792 contribuintes baianos. Neste dia será depositado o crédito do terceiro lote da restituição do Imposto de Renda, segundo dados divulgados pela Receita Federal nesta segunda-feira (07).

A consulta a esse lote será aberta nesta terça-feira (8). O lote abrange também restituições de exercícios anteriores (2008 a 2016). Na Bahia, as restituições totalizam um valor de R$ 143.818.705,34.

Em relação aos lotes residuais, serão creditados os seguintes valores para o estado da Bahia:
– Lote da declaração 2016: 1.251 contribuintes, totalizando R$ 3.072.678,30;
– Lote da declaração 2015: 581 contribuintes, totalizando R$ 1.415.217,38;
– Lote da declaração 2014: 553 contribuintes, totalizando R$ 1.085.954,35;
– Lote da declaração 2013: 398 contribuintes, totalizando R$ 502.770,05;
– Lote da declaração 2012: 41 contribuintes, totalizando R$ 34.274,99;
– Lote da declaração 2011: 4 contribuintes, totalizando R$ 5.629,69;
– Lote da declaração 2010: 3 contribuintes, totalizando R$ 1.881,33;
– Lote da declaração 2009: 3 contribuintes, totalizando R$ 678,72;

Em todo Brasil serão contemplados mais de 2,012 milhões de contribuintes, totalizando cerca de R$ 2,8 bilhões em valores de restituição pagos. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na Internet (http://idg.receita.fazenda.gov.br) ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento.


 (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

 

O presidente Michel Temer (PMDB) elogiou na manhã desta segunda-feira (7) o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e afirmou que ele não tem uma visão só municipalista, mas nacional .

Tanto o presidente como o prefeito afirmaram que a transferência de parte da área do Aeroporto Campo de Marte para a construção de um parque municipal, assinada nesta segunda na Prefeitura de São Paulo, é fruto de um trabalho de cooperação entre governo federal e municipal e que não foi pensado pelos governos anteriores nos últimos 60 anos em que se debateu o tema.

“Tenho orgulho de me equiparar às atitudes de João Doria para que nós tomássemos atitudes que estavam paralisadas há muitíssimos anos […] Isso é fruto da ideia porque tenho um parceiro e um companheiro. João não tem uma visão só municipalista, mas nacional”, disse.

Temer disse ainda que sempre foi pautado pelo “princípio federativo”. “Desde o primeiro momento temos nos pautado pela ideia de que é preciso prestigiar estados e municípios. Se forem fortes, forte será a União”, disse.

A forma de trabalhar do afilhado político do governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que não participou da cerimônia, foi elogiada por Temer por ter “horários rígidos”. “Doria sempre agregou, sempre somou.”

Os elogios acontecem na semana posterior à votação da denúncia contra Temer na Câmara dos Deputados que rachou o PSDB _ metade do partido na Casa votou para continuar a investigação contra o presidente, metade para não dar prosseguimento.

Depois da cerimônia, Doria disse que os quatro ministros do PSDB que atuam no governo Temer devem permanecer.

“O PSDB tem quatro ministros muito bons que atuam no governo com muita eficiência, com destreza, são prestigiados, e, a meu ver, podem continuar o seu trabalho onde estão. E entendo também que o PSDB é um grande partido, composto por boas cabeças, que emitem suas opiniões nem sempre coincidentes”, disse.

Fonte: G1