o próximo ano, o governo vai oferecer 100 mil vagas para o Financiamento Estudantil (Fies) a juro zero para alunos com renda per capita familiar de até três salários mínimos. O programa foi reformulado e terá três tipos diferentes de contrato.

As mudanças foram anunciadas na manhã desta quinta-feira (6). Para que tenham validade, o governo enviará uma medida provisória (MP) para o Congresso.

A seleção do segundo semestre, no entanto, continua sob as regras antigas. Serão oferecidas mais 75 mil novas vagas de contratos de financiamento. O cronograma com as datas será publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (7), segundo o MEC.

A partir de 2018, serão oferecidas três modalidades do programa. Veja o que se sabe até agora:

FIES 1

  • PÚBLICO: Voltado para alunos com renda per capita familiar de três salários mínimos. Vai funcionar como um fundo garantidor de recursos da União.
  • TAXA DE JUROS:Não haverá nenhuma taxa de juro.
  • PAGAMENTO: Pelas regras, o aluno vai começar a pagar as prestações com parcelas de no máximo 10% da renda mensal. Assim, o MEC calcula uma economia de pelo menos R$ 300 milhões por ano com taxas operacionais.
  • VAGAS EM 2018: A previsão é de oferecer 100 mil vagas.

FIES 2

  • PÚBLICO: Voltado para alunos com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos. Voltado para as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
  • TAXA DE JUROS: A taxa de juros é de 3%, mais correção monetária.
  • FONTE DE RECURSOS: Segundo o MEC, a fonte de recursos será de “fundos constitucionais regionais”.
  • VAGAS EM 2018: A previsão é de oferecer 150 mil vagas.

FIES 3

  • PÚBLICO:Voltado para estudantes com renda familiar per capita de até cinco salários mínimos.
  • TAXA DE JUROS: Ainda não há previsão. “Não tem definição prévia sobre a taxa de juros, será maior que 3%, mas menor que as taxas bancárias privadas”, diz o ministro.
  • FONTE DE RECURSOS: A fonte de recursos será o BNDES e fundos regionais de desenvolvimento do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O risco de crédito também será dos bancos, diz o MEC.
  • VAGAS em 2018:A previsão é de ofertar 60 mil vagas. Nessa modalidade, o MEC discute com o Ministério do Trabalho uma nova linha de financiamento que pode garantir mais 20 mil vagas adicionais.

 


 

As inscrições para o concurso da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar encerraram no dia 21 de junho. As duas mil vagas para o cargo de soldado da PM serão disputadas por 123.812 candidatos. Já para as 750 vagas de Bombeiro Militar foram inscritas 18.066 pessoas. No total, 141.878 candidatos vão participar do concurso da segurança pública de 2017.

Os maiores números de inscritos para soldado foram registrados nas cidades de Salvador, Juazeiro e Feira de Santana. Já para Bombeiro Militar, as cidades de Salvador, Feira de Santana e Itabuna tiveram a maior quantidade de inscritos. Em 2012, o concurso da PM teve 74.702 candidatos disputando duas mil vagas, e, em 2008, foram 84.041 pessoas para 3.200 vagas.

Uma vez habilitado para o curso de formação, seja da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros Militar, o candidato irá ingressar no quadro das corporações como aluno soldado. Quando tiver concluído o curso e, posteriormente, lotado na região de sua escolha, o soldado da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar terão carga horária de 40 horas semanais.

O concurso contará com duas etapas, com provas objetivas e discursiva, previstas para o mês de agosto. Será apenas um dia de seleção, com duração de quatro horas e trinta minutos. O resultado obedecerá à ordem de classificação, seguindo a publicação das notas finais em ordem decrescente, observando cargo, região e sexo.

O edital de abertura de inscrições, elaborado conjuntamente pela Secretaria da Administração do Estado (Saeb) e pelos Comandos Gerais da Polícia Militar da Bahia e do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, foi publicado dia 10 de maio. Com validade de um ano, prorrogável por igual período, o concurso será realizado pela Saeb e pelo IBFC, que na Bahia é responsável pelos concursos públicos da Embasa e Agerba. Fonte: Correios


 

O presidente Michel Temer foi intimado oficialmente pela Câmara nesta quinta-feira (29) sobre a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) por corrupção passiva. A notificação foi entregue pelo primeiro-secretário da Câmara, Giacobo (PR-PR), ao subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Gustavo do Vale Rocha. Ainda nesta quinta a denúncia será encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A partir disso, o presidente terá o prazo de dez sessões para apresentar sua defesa. O colegiado terá mais cinco sessões para votar o parecer. Em seguida, a denúncia volta para a Mesa da Câmara, que deve pautar a sua votação em plenário na sessão seguinte. Mais cedo nesta quinta, a denúncia foi lida no plenário da Câmara.

 

Fonte> BN


 

No inicio da noite desta terça-feira (27) a Prefeita Palloma Uzêda confirmou o luto oficial de três dias na cidade de Itamari, 16 km de Apuarema, em virtude da morte das cinco vitimas da grave colisão desta ultima segunda-feira (26).

Segundo a Prefeita Palloma, a população está abalada com a tragédia e o sentimento é de luto. A Prefeita ainda informou que sua equipe está dando o apoio necessário às famílias da vitima.


Um grave acidente na BA-549, trecho entre os municípios de Itamari e Gandu,  no final da tarde de segunda-feira, 26, deixou três pessoas mortas no local e uma terceira vítima ainda permanece internada no Hospital Geral Prado Valadares. O veículo Fiat/Uno era conduzido por Luis César Silva Mendes, que morreu no local o mesmo que ocorreu com a sua esposa Maricélia Castro da Silva. A filha do casal,  Paloma da Silva Mendes, 21, de acordo com informações de familiares por volta das 8h40, ainda permanece internada no hospital público de Jequié. A outra vítima fatal, estava no carro modelo Corsa Classic. O veículo ainda era ocupado por duas pessoas que foram socorridas até o Prado Valadares em Jequié. O resgate das vítimas foi realizado pela PM, Corpo de Bombeiros, Samu de Jequié e Apuarema, além de Bombeiros voluntários de Gandu. As causas do acidente ainda não foram esclarecidas. Com informações do Giro Ipiaú 


 

O presidente Michel Temer discute com auxiliares antecipar o anúncio do novo procurador-geral da Republica, posto hoje ocupado por Rodrigo Janot.

 

Nesta terça-feira, o Ministério Público vai eleger os três principais candidatos da classe para a vaga. Os nomes serão encaminhados a Temer por meio de uma lista tríplice.

 

O mandato de Janot termina em setembro.

 

Desde a delação da JBS, Temer cogita ignorar a tradição de nomear o primeiro colocado da lista.

 

Agora, tem sido aconselhado a antecipar o anúncio do nome para a vaga de Janot. Um grupo de aliados do presidente acredita que a operação poderá “esvaziar” movimentos de Janot, já que o novo nome fará “sombra” ao procurador.

 

Outra ala do Planalto é contra. Avalia que pode ter efeito inverso, e que, uma vez anunciado, o novo nome “ficará na chuva” e estará vulnerável a críticas e questionamentos até a sua aprovação pelo Senado.

 

Em outras palavras, o grupo contrário teme a “fritura” do escolhido de Temer.

 

Janot deixa o cargo em setembro. Temer ainda não decidiu o que fará. Mas mesmo se antecipar a escolha, o envio ao Senado para que o novo nome seja submetido aos parlamentares só ocorrerá após a saída de Janot.


 

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta segunda-feira (26) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de uma nova investigação sobre o presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para apurar suposta prática de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O novo inquérito também deverá se basear na delação da JBS. A suspeita da Procuradoria-Geral é de que os dois atuaram para beneficiar a Rodrimar, empresa especializada em comércio exterior e que opera em Santos (SP).

O pedido foi encaminhado ao Supremo e deverá ser analisado pelo relator do caso, ministro Edson Fachin, que não tem prazo para se manifestar.

 

Fonte: G1


 

Além das homenagens prestadas e dos títulos entregues aos convidados de honra da noite da última sexta-feira (16), o Vereador e Presidente da Câmara de Vereadores, Marcos Hurange, fez questão de entregar as carteiras dos vereadores, confeccionados pela casa legislativa.

Segundo Marcos, é mais um investimento da presidência para o bom andamento do poder legislativo. Ainda em suas palavras confirmou o funcionamento do prédio da Câmara de Vereadores durante o período de recesso dos edis.

 


 

A Vereadora de oposição Aerveles Amorim (PSC), em seu discurso no grande expediente da Sessão da Câmara de Vereadores de Apuarema, na última sexta (16), fez questão de exclamar e parabenizar ao Prefeito Raival Pinheiro (PP), pelo trabalho desenvolvido, em seu primeiro semestre de governo, no município de Apuarema e emocionada surpreendeu a todos os presentes relatando suas experiências ao viver o resgate do bolo do aniversário de Apuarema.

Segundo Aerveles,  ao participar do evento, na última terça, ela remeteu-se automaticamente ao tempo de quando era criança a mesma e seus irmãos faziam questão de desfrutar do bolo servido no passado pelo ex-prefeito Raul e Mundinha.

A vereadora da oposição fez questão ainda de relatar algumas das conquistas do Prefeito Raival e citou algumas a considerando como de destaques: Instalação da Policlínica Municipal, resgate do bolo do aniversário da cidade, o fardamento da guarda municipal e etc. Finalizando a vereadora ainda compartilhou com todos os presentes a felicidade em ouvir a população feliz pela inauguração do Estádio Municipal que acontecerá neste domingo (18).

A vereadora Aerveles Amorim (PSC) não foi a única vereadora a elogiar o Prefeito Raival.


 

Em relatório entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal afirma que as evidências colhidas na investigação indicam “com vigor” que o presidente Michel Temer cometeu o crime de corrupção passiva.

No documento, enviado ao STF nesta segunda-feira (19) e tornado público nesta terça, a PF afirma que o presidente aceitou pagamentos de vantagens indevidas do grupo J&f por intermédio do ex-assessor e ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) (leia mais abaixo sobre os pagamentos).

Ao afirmar que Temer e Rocha Loures cometeram os crimes de corrupção passiva, a Polícia Federal ressalta que, durante a condução do inquérito, tentou interrogá-los mas que, por opção, os dois não responderam às perguntas dos investigadores.

“Diante do silêncio do mandatário maior da nação e de seu ex-assessor especial, resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado nestes autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva”, diz a PF no relatório.

Além de Temer e Rocha Loures, a PF aponta que o dono do grupo J&F, Joesley Batista, e o diretor de Relações Institucionais da empresa, Ricardo Saud, cometeram o crime de corrupção ativa.

Fonte: G1