O PMDB de Jequié, sob co comando do deputado estadual Leur Lomanto Jr., declarou apoio a gestão do prefeito eleito, Sérgio da Gameleira (PSB), mesmo depois das intrigas de outubro, quando Leur defendeu a candidatura de Dr. Fernando, do PV, segundo colocado nas eleições, cujo projeto, com ampla divulgação nos meios de comunicação, incluía críticas a Gameleira. Após reunião no último final de semana, num hotel de Jequié, onde o deputado estava hospedado, depois de passar o Natal com amigos e aliados, Leur anunciou aliança política da Executiva Municipal do PMDB com o prefeito eleito, que tomará posse no próximo domingo, dia 1º de janeiro, quando assume o comando da Prefeitura. A argumentação é de que a junção é para ajudar a melhorar Jequié e que o grupo peemedebista não fará exigência de cargos. Dois vereadores do partido, e correligionários de Leur Jr., Gutinha e Joaquim Caíres, participaram da reunião e aprovaram a união com o PSB.

 

Fonte: Blog Marcos Frahm


A temperatura subiu na Rua 2 de Julho, na noite desta terça-feira (20DEZ2016), depois que a Câmara Municipal de Jequié votou o aumento dos subsídios do prefeito, vice-prefeito, vereadores eleitos e reeleitos, bem como dos futuros secretários municipais. Dezenas de pessoas, convocadas principalmente pelas mídias sociais, tentaram pressionar os vereadores a desistirem do reajuste, porém, muitos deles sequer acompanharam a votação. Isto porque a reunião durou poucos minutos. “Num piscar de olhos eles decidiram pelo reajuste” protestou um dos manifestantes em entrevista ao repórter Dell Santos (Jequié FM 89,7) durante sua cobertura à sessão e aos protestos.
Insatisfeitos, os jequieenses elevaram o tom de voz, e aos gritos de “revoga, revoga” permaneceram na porta da Câmara até 21h30min, até que os vereadores conseguiram deixar o local. Segundo relatos do repórter Dell Santos, em alguns momentos o clima ficou bastante tenso no lado de fora. Como algumas pessoas estavam começando a ficar com os ânimos mais exaltados, a polícia militar se postou na porta da Câmara. Doze vereadores votaram favoráveis à aprovação (Soldado Gilvan, Tinho, Dorival Júnior, Chico de Alfredo, Ivan do Leite, Beto de Lalá, Joaquim Caíres, Zé Simões, Colorido, Manoel Gomes, Deyvison Batista e Neto da Água), enquanto o vereador Pé Roxo votou contra. De janeiro em diante o subsídio do prefeito será de R$20 mil, do vice R$ 15 mi, secretários municipais e vereadores R$ 12.660.  (Jequié e Região)


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tornou-se réu pela quinta vez esta segunda (19), a quarta em processos relacionados à Operação Lava Jato, depois que o juiz federal Sérgio Moro aceitou a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) feita na quinta (15). Lula também é réu em outros dois processos na Lava Jato, além de outro decorrente da operação Janus (um desdobramento da Lava Jato) e mais um na operação Zelotes. O MPF denunciou o ex-presidente pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro por contratos firmados entre a Petrobras e a construtora Norberto Odebrecht S/A. O ex-presidente foi apontado como o “responsável por comandar uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar, assentada na distribuição de cargos públicos na administração federal”. O ex-presidente afirma que “nunca solicitou vantagens indevidas e sempre agiu dentro da lei” (veja a defesa completa abaixo). Também viraram réus nesta ação o empresário Marcelo Odebrecht, acusado da prática dos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro; o ex-ministro Antonio Palocci e seu ex-assessor Branislav Kontic, denunciados pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro; e Paulo Melo, Demerval Gusmão, Glaucos da Costamarques, Roberto Teixeira e a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, acusados da prática do crime de lavagem de dinheiro. (Uol)


O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) determinou nesta sexta-feira (16) o retorno do ex-governador Sérgio Cabral ao Rio de Janeiro, onde ficará preso preventivamente. A ordem foi expedida pelo desembargador federal Abel Gomes, em pedido de habeas corpus apresentado pela defesa de Cabral, que havia sido transferido para Curitiba por determinação do juiz Marcelo da Costa Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Cabral seguiu para Curitiba no sábado (10) pela manhã. No habeas corpus, Abel Gomes determinou que o acusado seja recolhido ao Presídio Pedro Werling de Oliveira (Bangu 8), “sem prejuízo de que as autoridades Judiciárias, do Ministério Público e da Seap [Secretaria de Administração Penitenciária] prossigam na apuração das infrações eventualmente ocorridas durante as visitações pretéritas, bem como o prosseguimento no controle da manutenção da disciplina interna, com a aplicação das proporcionais sanções disciplinares cabíveis, na forma da LEP [Lei de Execução Penal], que é o estatuto também aplicável ao preso provisório, no que couber”. Segundo a Agência Brasil, n decisão, o desembargador Abel Gomes esclareceu que a LEP, ao tratar da cadeia pública, onde devem permanecer os presos provisórios, estabelece que os custodiados sejam mantidos em local próximo da família. O desembargador, ainda em sua decisão, também citou as regras da Constituição Federal que tratam das prisões, bem como os tratados internacionais referentes ao tema. Além disso, Abel Gomes levou em conta que a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) não confirmou as notícias veiculadas pela imprensa – que deram motivo à transferência do custodiado para o Paraná – no sentido de que o ex-governador estaria gozando de privilégios no presídio carioca. (BahiaNotícias)


O juiz Vallisney Souza Oliveira, da Justiça Federal do Distrito Federal, aceitou denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e tornou réus no âmbito da Operação Zelotes o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o filho dele Luis Cláudio Lula da Silva e dois empresários pelos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Lula foi denunciado pelo MPF na semana passada por ter atuado entre 2013 e 2015, durante a gestão de Dilma Rousseff, em favor de empresas de Mauro Marcondes e Cristina Mautuoni. O ex-presidente teria beneficiado a MMC, o Grupo Caoa e a Saab. Em troca, os empresários pagaram pouco mais de R$ 2,5 milhões a Luis Cláudio Lula da Silva para a realização de um trabalho. De acordo com o MPF, não houve prestação de serviço. O filho de Lula teria copiado textos da internet para apresentar o documento à empresa. o filho copiou textos da internet para apresentar o documento à empresa. Ele já responde a um processo no âmbito da Operação Lava Jato e duas ações na Justiça de Brasília. (BahiaNotícias)


Deverão ser incluídos na ordem do dia da sessão da próxima terça-feira (20/12), da  Câmara Municipal de Jequié, os projetos de lei 28 e 29/2016, cujas leituras foram aprovadas na última quarta, 14, com 11 votos favoráveis, 01 contrários e 5 ausências justificadas. Os dois projetos estabelecem os subsídios mensais dos vereadores,  prefeito, vice-prefeito e secretários municipais de Jequié, para o período 2017/2020, com entrada em vigor a partir de 1º de janeiro de 2017. O relator da Comissão de Justiça, vereador José Simões de Carvalho Júnior, apresentou parecer favorável a aprovação das duas propostas. O Projeto de Lei, que trata dos subsídios de prefeito, vice-prefeito e Secretários Municipais, estabelece o valor mensal de R$ 20 mil, para o prefeito, R$ 15 mil, para o vice-prefeito e R$ 12.660, para os Secretários Municipais. No artigo 4º do Projeto, fica estabelecido que, ”os subsídios fixados na presente Lei serão revistos anualmente na mesma data e com o mesmo índice aplicado para os servidores municipais”. o Projeto de Lei nº 28/2016, que trata do subsídio mensal dos vereadores da Câmara Municipal de Jequié para a legislatura 2017 a 2020  fixa em R$ 12.660,  correspondentes nesta data a 50% dos subsídios integrais dos deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. No artigo 2º do Projeto, está estabelecido que, ”A ausência do Vereador às sessões ordinárias deliberativas implicará no desconto da importância correspondente a 1/8 (um oitavo) do subsídio fixado no Artigo 1º da Lei, por sessão”. No Parágrafo Único está inserido que, o desconto previsto no artigo 2º, ”não incidirá no pagamento dos vereadores presentes à Sessão não realizada por ausência de matéria a ser votada e a não realização da Sessão por falta de quórum”. A votação dos dois Projetos de Lei, está inicialmente prevista para terça-feira (20). Com o presidente da Casa, não votando na leitura do Projeto, foram votos favoráveis os vereadores Soldado Gilvan, Tinho, Dorival Júnior, Chico de Alfredo, Ivan do Leite, Beto de Lalá, Joaquim Caires, Zé Simões, José Wanderley, Josué Menezes e Neto da Água Já. O único voto contrário foi  o do vereador Pé Roxo. Justificaram ausências da sessão os vereadores Colorido, Ednael Almeida, João Cunha, Manoel Gomes e Meire Lopes. (Fonte: Blog Marcos Frahm)


Na deleção premiada do ex-vice-presidente institucional da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, foi citado o nome do deputado federal Antônio Brito, na lista de distribuição do dinheiro de caixa dois o deputado do PSD aparecia na lista com o apelido de “misericórdia”, por ser o representante das santas casas de misericórdia. AB teria recebido mais de cem mil reais para a campanha de 2014. O deputado jequieense, Roberto Britto (PP), também é citado nas investigações da operação “lava jato”, acusado de ter recebido cem mil reais em dinheiro também do caixa dois das empreiteiras para a campanha eleitoral. Roberto Britto disse que vai aguardar a decisão do Supremo Tribunal Federal para se manifestar. Por enquanto, o deputado prefere aguardar e não se posicionar sobre o assunto. A assessoria do deputado AB disse a reportagem do Junior Mascote que as doações foram legais e registradas no TSE!